14 de jul de 2011

IFIBE e ESCOLA PRESTES JUNTOS NO PROJETO "FILOSOFIA NAS COMUNIDADES" - SONDAGEM EDUCADORES E EDUCANDOS ''ÚTILIZACÃO DAS TECNOLOGIAS NA EDUCACÃO''

>>> VEJA AQUI O MATERIAL UTILIZADO... ...>>> OFICINA E MATERIAL AVALIAÇÃO...

A Comunidade Escolar Prestes agradece ao IFIBE.

Veja as fotos:















Instrumento de sondagem – Educadores

-1. Você considera que as novas tecnologias da informação trazem novas possibilidades à educação?

-2. O educador pode construir conhecimento sobre e com as novas tecnologias, entender por que e como integrar estas na sua prática pedagógica, possibilitando a transição de um sistema fragmentado de ensino para uma abordagem integradora de conteúdo, voltada para a solução de problemas específicos do interesse de cada aluno?  Como?

-3. O Educador pode ficar fora das transformações ocorridas no século XXI, dentre elas as tecnologias (Internet, Computador, Multimídias, TV, radio, Jornal...)?

-4. Que postura você tem diante do cenário da Globalização, das tecnologias em sua vida e em seu trabalho de sala de aula?

-5. Você entende que as tecnologias podem romper com os velhos paradigmas da educação? Como?

-6.  Diante da rapidez da rapidez que a tecnologia e a complexidade com que avança, transformando as relações de modo geral, inclusive no processo educacional. O que você tem a considerar sobre isto?

-7. É importante que os futuros profissionais da educação entendam que a inovação vem condicionada ao enfoque metodológico que faz uso destes recursos aproveitando suas novas possibilidades de trabalho?
-8. A alfabetização e conhecimentos  tecnológicos pelo educador é um processo indispensável e contínuo, que requer uma postura reflexiva sobre sua prática pedagógica. Nessa concepção, o professor estará contribuindo na formação de indivíduos capazes de descobrir, compreender e transformar o mundo que os cerca?



APÊNDICE 2: QUESTIONÁRIO

1 – Você costuma ler  livros e revistas com temas da atualidade?
(    ) Sempre
(    ) Às vezes
(    ) Nada

2 – Traça metas e procura alcançá-las durante o ano?
(    ) Sim
(    ) Não

3 – Nas suas aulas, costuma variar os métodos e técnicas pedagógicas?
(    ) Sempre
(    ) Às vezes
(    ) Nunca

4 – Você participa com frequência de cursos de atualização?
(    ) Sim
(    ) Não

5 – Você já participou de cursos de atualização na área de mídias ou tecnologias educacionais?
(    ) Sim
(    ) Não

6 – Sua escola possui sala informatizada para uso dos alunos?
(    ) Sim
(    ) Não

7 ­– Em caso positivo da resposta da questão anterior, ao levar uma turma de aproximadamente 30 alunos, na sala informatizada, há uma relação de:
(    ) 1 aluno por computador
(    ) 2 alunos por computador
(    )  mais de 2 computador

8 –  Quais as mídias disponíveis na sua escola?
(    ) TV
(    ) rádio
(    ) vídeo cassete
(    ) DVD aparelho
(    ) aparelho de som com rádio, com reprodução de CD
(    ) mídia impressa: livro didático
(    ) mídia impressa: jornal
(    ) mídia impressa: revista
(    ) mídia impressa: livros de literatura e para pesquisas
(    ) mídia informática: computador
(    ) mídia informática: Internet
(    ) mídia eletrônica: DVD R, CD ROM,
(    ) mídia eletrônica: fitas K7
(    ) mídia eletrônica: datashow
(    ) mídia digital: máquina fotográfica digital,
(    ) mídia digital: filmadora
(    ) mídia digital: celular (da escola)

9 – Quais as mídias você costuma utilizar em suas aulas?
(    ) TV
(    ) rádio
(    ) vídeo cassete
(    ) DVD aparelho
(    ) aparelho de som com rádio, com reprodução de CD
(    ) mídia impressa: livro didático
(    ) mídia impressa: jornal
(    ) mídia impressa: revista
(    ) mídia impressa: livros de literatura e para pesquisas
(    ) mídia informática: computador
(    ) mídia informática: Internet
(    ) mídia eletrônica: DVD R, CD ROM,
(    ) mídia eletrônica: fitas K7
(    ) mídia eletrônica: datashow
(    ) mídia digital: máquina fotográfica digital,
(    ) mídia digital: filmadora
(    ) mídia digital: celular

10 – Você usa recursos da informática nas suas aulas?
(    ) Sempre
(    ) Às vezes
(    ) Nunca

11 – Você possui e-mail?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________

12 – Você tem MSN?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________

13 – Você tem Orkut?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________

14 – Você tem facebook?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________

15 – Você tem twitter?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________


16 – Na Internet, existem algumas ferramentas interativas como o blog, o flog e a webquest; onde  podem ser deixadas informações para os alunos. Você utiliza alguma?
(    ) Sim, o blog
(    ) Sim, o flog
(    ) Sim, a webquest
(    ) Sim, outro(s): ________________________________________
(    ) Não

17 – Você tem blog?
(    ) Sim
(    ) Não
Se possui, quer disponibilizá-lo? _________________________________________

18 – Caso você tenha blog, costuma utilizá-lo com fins pedagógicos, divulgando projetos trabalhados com seus alunos?
(    ) Sim
(    ) Não

19 – A escola onde você trabalha tem blog?
(    ) Sim
(    ) Não

20 – Caso sua escola tenha blog, o mesmo costuma ser utilizado com fins pedagógicos, divulgando projetos trabalhados na escola?
(    ) Sim
(    ) Não

21 – Você costuma comunicar-se com seus alunos através de meios eletrônicos?
(    ) Sim
(    ) Não

22 – Caso a resposta da questão anterior tenha sido positiva, qual você mais utiliza?
(    ) e-mail
(    ) msn
(    ) orkut
(    ) blog

23 – Você se sente preparado para utilizar recursos da informática nas salas de aula?
(    ) Muito bem preparado.
(    ) Satisfatoriamente preparado.
(    ) Pouco preparado.
(    ) Despreparado

24 – O professor, na sua concepção, pode ser substituído pelo computador na sala de aula?
(    ) Sim
(    ) Não

25 – O computador, como recurso pedagógico, facilitou o ensino-aprendizagem?
(    ) Facilitou.
(    ) Facilitou pouco.
(    ) Não facilitou.

26 – Como você observa que os alunos sentem-se ao participarem das aulas quando você utiliza algum recurso de informática?
(    ) Muito motivados.
(    ) Pouco motivados.
(    ) Nada motivados.

27 –  Qual(is) sua(s) maior(es) dificuldade(s) no uso da mídia informática?
(    ) Não saber digitar.
(    ) Não saber copiar, colar, salvar.
(    ) Não conseguir formatar textos.
(    ) Não saber pesquisar na Internet.
(    ) Não conhecer sites com conteúdos pedagógicos.
(    ) Não conhecer o software Linux.
(    ) Não conhecer o software Windows.
(    ) Outro(s): ____________________________________________________

28 –  Você utiliza  aplicativos como o Hotpotatoes, Freemind (mapas mentais/mapas conceituais) nas suas aulas?
(    ) Sim
(    ) Não
Se utiliza, qual(is) é(são)? ____________________________________________________


29 –  Se lhe fosse proporcionada a participação em um curso de Mídias e Tecnologias na Educação, você estaria interessado em participar?
(    ) Sim
(    ) Não




Bom trabalho.

Obrigado

13 de jul de 2011

DE MEIO AMBIENTE, ÉTICA E ETIQUETA

De meio ambiente, ética e etiqueta.

“... a crise é terminal porque todos nós, mas particularmente o capitalismo, encostamos nos limites da Terra. Ocupamos depredando todo o planeta, desfazendo seu sutil equilíbrio e exaurindo excessivamente seus bens e serviços a ponto de ele não conseguir, sozinho, repor o que lhe foi seqüestrado” (Leonardo Boff, 30/06/11)

            Estamos diante de uma crise ambiental real. O mundo inteiro se conscientiza e se mobiliza em defesa da sobrevivência planetária. A diferença está entre os que pregam a ética e os que pregam a etiqueta como formas de colaborar com a sobrevida do planeta, entre quem se dispõe a promover mudanças na organização econômica e social e entre aqueles que buscam compensar o planeta com “atitudes politicamente corretas”. O que muda é se assumimos compromissos a partir das nossas ações humanas no planeta ou se estamos preocupados somente com o status social que recomenda “dosar” e qualificar nosso consumo como mais sustentável.
            O fundamento das diferenças acima descritas está alicerçado em conceitos bem distintos, historicamente construídos pelo ser humano a partir de suas relações com a natureza e com o mundo: o conceito de sustentabilidade e o conceito de interdependência. "Sustentável" provém do latim sustentare (sustentar; defender; favorecer, apoiar; conservar, cuidar). Já interdependência “ é um conceito que rege as relações entre os indivíduos onde um único indivíduo é capaz de, através de seus atos, causar efeitos positivos e/ou negativos em toda a sociedade. Ao mesmo tempo, esse mesmo indivíduo, por sua vez, é influenciado pelo todo. Com isso, é possível dizer que todas as pessoas e coisas que rodeiam a vida dos seres humanos estão interligadas e afetam a vida de todos de forma significativa”.(Wikipedia)
Arriscamos afirmar que o conceito de sustentabilidade nasceu no Ocidente, enquanto o conceito de interdependência nasceu no mundo oriental. Que o conceito sustentabilidade está associado à necessidade de compensar o já destruído; que o conceito interdependência está associado a um modo de vida e de relação entre os indivíduos e os seres vivos. Que a tentativa de transformar ética em etiqueta nada mais é do que apequenar a responsabilidade que o ser humano tem diante do “clamor” e do sofrimento do planeta.
A ética diante da vida e do planeta inscreve-se no compromisso com a vida no seu conjunto, seja ela a própria vida da gente e a vida dos demais seres vivos. A ética do cuidado, proposta por Boff, está embasada em quatro princípios fundamentais: o amor universal e incondicional, o cuidado, a solidariedade universal e a capacidade e a vontade de perdoar. Estes princípios ensejam mudança de posturas e comportamentos do ser humano com relação à natureza e o mundo, tornando o mundo mais do que sustentável: interdependente; onde os seres vivos possam ser considerados na relação de um para com o outro sem juízos de valor ou de importância.
A mudança que devemos fazer implica em re-significar a relação conosco mesmos, com a natureza e com o mundo. O exercício de reciclar algo que descartamos é pedagógico, uma vez que nos faz repensar a nossa existência diante dos demais seres vivos. Como escreveu Leonardo Boff, ao falar de ethos, palavra que dá origem à ética: Na casa cada coisa tem seu lugar e os que nela habitam devem ordenar seus comportamentos para que todos possam se sentir bem. Hoje a casa não é apenas a casa individual de cada pessoa, é também a cidade, o estado e o planeta Terra como casa comum. Sejamos, pois, responsáveis pela vida que compartilhamos juntos. Se não há compromisso com a vida, só há etiqueta.

Nei Alberto Pies, professor e ativista de direitos humanos.

6 de jul de 2011

Projetos didáticos e Papéis sociais

Projetos didáticos e Papéis sociais de
professores e estudantes


Quando falamos em projetos didáticos, entende-se primeiramente como algo que necessariamente aponta numa perspectiva da exigência de certas relações interativas onde a são presumidamente necessárias, para que realmente haja uma mudança efetiva de práxis pedagógica. O coletivo, a colaboração, a participação, colaboração, a elaboração, o planejamento, a avaliação... enfim aponta para uma perspectiva processual(Planejamento – Execução – Avaliação - Replanejamento...).
Considerando os aspectos acima, pode-se afirmar que realmente devem existir os chamados papeis sociais, que muitas vezes não acontece, ou seja, os projetos, didáticos ou não, são elaborados por alguns, e ai podemos perguntar: onde ficam os chamados ”papeis sociais”? Onde fica a participação dos educadores e educandos?
Necessário apontar também que quando falamos em projetos didáticos, vem intrinsecamente a idéia de que existem varias e diferentes concepções pedagógicas que estão em disputa no processo educativo.
        Existe a concepção construtivista, onde o educando é levado a buscar os dados, refletir, desafiar-se a construir, construir coletivamente o projeto, sentindo-se parte dele, portanto participando efetivamente de todo o processo, sendo sujeito ativo da aprendizagem. Há, no entanto outras concepções que não levam e não querem levar em consideração os aspectos da construção coletiva dos conhecimentos, onde os conhecimentos têm a lógica do individualismo, da acumulação, onde quem sabe domina, e o conhecimento não tem como perspectiva a construção da democracia, muito menos como instrumento da participação, onde todos tem conhecimento, e onde todos tem direito aos conhecimentos historicamente construídos.


Onesio Primo Longhi
Educador       

1 de jul de 2011

ESCOLA PRESTES GUIMARÃES - TRABALHOS - QUALIDADE DE VIDA E RELIGIÃO

A partir do texto >>> AQUI  E VIDEO <<< aqui apresentados:
- Que ideias fundamentais aparecem no texto sobre a relacao existente entre QUALIDADE DE VIDA E ESPIRITUALIDADE, RELIGIÃO?